quinta-feira, 19 de abril de 2018

Circuito Universitário no Hospital Escola Álvaro Álvim

O Circuito Universitário de Economia Solidária, projeto de extensão universitária da ITEP/PROEX/UENF, foi realizado hoje (19), das 8h às 13h, no Hospital Escola Álvaro Álvim. Na oportunidade, os membros dos grupos da Rede de Economia Solidária expunham e comercializam produtos que transitam pelo artesanato e gastronomia. Oportunidade para  funcionários da instituição e pacientes conhecerem o trabalho desenvolvido pela Rede.



"É a nossa primeira vez no Hospital Escola e estamos otimistas. No local durante a manhã existem dois horários de pico, onde muitas pessoas passam pela área que estamos expondo nossas mercadorias," pondera Simone Gonçalves, secretária executiva do Fórum de Economia Solidária de Campos.

A próxima edição do circuito  no Álvaro Álvim será dia 10 de maio, ótima oportunidade tanto para as artesãs quanto para quem pretende presentear sua mãe, já que a data antecede do dia das mães. 


 Reportagem e fotos
Juliana Maciel

quarta-feira, 18 de abril de 2018


Projeto ‘Praça Segura com Cultura e Economia Solidária’, iniciativa da ITEP

Uma praça para servir de palco para receber atrações culturais, gastronomia e artesanato para toda a família, tudo gratuito. Essa é a proposta do projeto ‘Praça Segura com Cultura e Economia Solidária’, uma parceria entre poder público e o Fórum de Economia Solidária de Campos.

Para afinar o projeto, no último dia 12, na Casa Brasil Portugal, estiveram reunidos representantes dos segmentos do artesanato, pesca, recicláveis, acessórias da ITEP/UENF, EMATER, ECOANZOL, junto ao poder público, bem como representantes das secretarias de desenvolvimento econômico, trabalho e renda e desenvolvimento humano social.



Umas das pautas tratadas na reunião, foram os possíveis pontos na cidade para a realização de eventos do projeto como a Praça São Salvador, Cais da Lapa e Pelinca.

"É preciso reativar a cultura de ocupação dos espaços públicos pela sociedade civil. Outro ponto é fomentar a economia regional e artesanal, fugindo das grandes empresas, empoderando a política das comunidades. A vivência e apreciação das diversas expressões culturais das nossas gentes também tem que ser presença marcante nas praças", afirma Nilza Franco, coordenadora técnica da ITEP/UENF.


Outras pautas discutidas na reunião foi a realização da próxima plenária que irá acontecer no dia 25, nos altos da Rodoviária Roberto da Silveira, eleição para a recomposição da coordenação do Fórum e o calendário das próximas reuniões.

Reportagem
Juliana Maciel

Fotos
Simone Gonçalves

terça-feira, 17 de abril de 2018

Morre Paul Singer: um dos precursores do conceito de economia solidária

A Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP), lamenta a morte no dia de ontem, 16, do economista Paul Singer, uns dos fundadores do Partidos dos Trabalhadores e mestre da economia solidária no país.

Austríaco, vindo para o Brasil com apenas 8 anos, Paul lutou a vida inteira por um Brasil com uma economia mais justa e solidária. No governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um dos precursores do conceito de economia solidária no país, baseada na produção de autonomia, ninguém manda e ninguém obedece. No governo da ex-presidente Dilma Roussef foi secretário nacional de economia solidária.

O economista e também professor da Universidade de São Paulo, não via a economia solidária como uma ciência 'alternativa', e era entusiasmado com a realidade do crescimento acentuado no país de uma economia democrática. Ele foi ainda o maior conhecedor e estimulador das formas cooperativas de produção.

A ITEP manifesta gratidão e admiração ao Professor Paul Singer! 

Foto da internet


Juliana Maciel
Reportagem 

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Circuito Universitário está de volta à Estácio de Sá

O Circuito Universitário de Economia Solidária, projeto de extensão universitária da ITEP/PROEX/UENF, foi realizado ontem (04) e segue no dia de hoje (05), na Estácio de Sá, em Campos.

Na oportunidade, os membros dos grupos da Rede de Economia Solidária expunham e comercializam produtos que transitam pelo artesanato e gastronomia. Oportunidade para alunos e funcionários da instituição conhecerem o trabalho desenvolvido pela Rede.

"A Estácio de Sá é o melhor lugar para os grupos em se tratando da questão financeira. O trabalho das artesãs são realmente valorizados pelos alunos e funcionários da faculdade," pondera Simone Gonçalves, secretária executiva do Fórum de Economia Solidária de Campos.

O circuito é realizado na Estácio sempre na primeira semana do mês, às quartas e quintas-feiras, das 17h às 21h e na UENF todas as terças-feiras, das 8h às 14h.



Reportagem e fotos
Juliana Maciel

quarta-feira, 4 de abril de 2018


EDITAL  DE CHAMAMENTO DE ASSESSORIAS TÉCNICAS E TRABALHADORES DE ECONOMIA SOLIDÁRIA
O Fórum de Economia Solidária de Campos dos Goytacazes em sua Plenária mensal do dia 28  de março aprovou chamamento de representações e trabalhadores de economia solidária para recompor a coordenação e demais organizações internas do movimento.
São chamados a se organizarem: Assessorias Técnicas e empreendimentos de economia solidária dos segmentos da agricultura familiar/assentados, quilombolas, cooperativas de produção popular e de catadores de matérias recicláveis, alimentação (doceiras, salgadeiras, congelados, alimentos microbeneficiados, outros) e artesanato.
1.        Entende-se por assessorias técnicas, segundo o FBES, as entidades de assessoria e fomento à economia solidária que desenvolvem efetivamente ações nas várias modalidades de apoio direto junto aos empreendimentos solidários, tais como capacitação, assessoria, incubação, pesquisa, acompanhamento, fomento a crédito, assistência técnica e organizativa. • Estimulam a participação dos empreendimentos assessorados nos Fóruns. • Tenham suas atividades e participação regulares dentro do Fórum, e não eventuais, pontuais ou corporativas. •  Subsidiam o Fórum na elaboração e fomento de políticas. • Baseiam a sua metodologia de assessoria e apoio. • Levam em consideração critérios ambientais nas suas atividades. • Respeitam os recortes de gênero, raça, etnia, geração e diferentes orientações sexuais em suas ações e atividades. • Assumem práticas e valores autogestionários na sua atividade e fins de fomento e assessoria.
2.        Empreendimentos Solidários são organizações que seguem os seguintes critérios: Quanto à gestão e funcionamento internos • São coletivas (singulares e complexas), tais como associações, cooperativas, empresas autogestionárias, clubes de trocas, redes, grupos produtivos informais e bancos comunitários. • Seus participantes ou sócias/os são trabalhadoras/es dos meios urbano e/ou rural que exercem coletivamente a gestão das atividades, assim como a alocação dos resultados. • Podem ter ou não um registro legal, prevalecendo a existência real. A forma jurídica não é o mais fundamental, mas sim a autogestão. • No caso de associações sem fins lucrativos, estas devem possuir atividade(s) econômica(s) definida(s) em seus objetivos. • São organizações regulares, que estão em funcionamento, e organizações que estão em processo de implantação, com o grupo de participantes constituído e as atividades econômicas definidas. • Realizam atividades econômicas que podem ser de produção de bens, prestação de serviços, de crédito (ou seja, de finanças solidárias), de comercialização e de consumo solidário.
Estes segmentos para participarem do Fórum e de sua organização interna devem se expressar através de carta de adesão. Para assinar uma carta de adesão as instituições e empreendimentos devem se dirigir a UENF sala 119, Prédio da Reitoria, nos horários de 8:30 as 11:30  e 14h às 17h.


Contatos para facilitar o processo de adesão: 22- 981176431/ 22-99919738/22- 27486067

Reuniões Preparatórias:

1.        Dia 17 de abril – 14 horas. Reunião com os segmentos de assessorias técnicas e cooperativas populares e de catadores de materiais recicláveis. Local Secretaria de Trabalho e Renda (Rua R. Mal. Floriano, 255 - Centro, Campos dos Goytacazes);

2.     Dia 18 de Abril – 14 horas. Reunião com os segmentos da pesca artesanal, alimentação (doceiras, salgadeiras e outros) e quilombolas. Local Secretaria de Trabalho e Renda (Rua R. Mal. Floriano, 255 - Centro, Campos dos Goytacazes);
3.        Dia 19 de Abril – 14 Horas – Segmento Agricultora Familiar e Assentados. Local Sala de Reunião da Emater.


Campos dos Goytacazes, 28 de março de 2018.


  
Simone Gonçalves
Secretária Executiva /Coordenação do Fórum de Economia Solidária