quarta-feira, 27 de março de 2013

Circuito Goitacá bastante movimentado na UENF




  



O Circuito Goitacá de Economia Solidária, projeto de extensão da Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP), teve um grande movimento nesta quarta-feira (27) na Área de Convivência I da UENF. Desde a primeira quinzena de março, o grande sucesso vinha sendo a mesa de bijuterias, que continuou movimentada esta semana. A mesa de produtos da páscoa também fez enorme sucesso, com chocolates em diversos formatos. Mas o maior sucesso mesmo foi a já tradicional tapioca recheada na hora da Feirinha da Roça, que nesta quarta-feira esteve no Circuito Goitacá de Economia Solidária.

A tradicional tapioca recheada na hora com diversos sabores já faz bastante sucesso com os estudantes e funcionários, quando a Feirinha da Roça expõe no prédio P-5 às terças-feiras. E hoje não foi diferente. Com recheios de frango, frango com queijo, côco com leite condensado, queijo com goiabada e queijo, ao preço de apenas R$ 3,00, a tapioca recheada vendeu muito e agradou os consumidores.

A técnica administrativa da UENF, Patrícia Cesário, levou alguns produtos da agricultura familiar para casa e aprovou o espaço onde a Feirinha da Roça se instalou. “O espaço é ótimo. Coberto, tem ventilação. É uma experiência a fazer”, afirmou Patrícia.

Outra funcionária da UENF, Vivian Pereira também disse que a Feirinha da Roça ficou ótima no novo espaço. “Tem a cozinha toda preparada, com água para se elas precisarem. Tá ótimo. Melhor do que no P-5. Aqui as pessoas ficam mais confortáveis”, acredita Vivian.

Fotos e texto: Wesley Machado

terça-feira, 26 de março de 2013

Feira de Economia Solidária em Macaé

A Feira de Economia Solidária será realizada no Parque da Cidade, na Praia Campista, em Macaé, entre quinta-feira (28) e domingo (31), de 17 às 22 horas, paralela às apresentações do “Drama da Salvação”. Serão comercializados produtos artesanais e alimentos caseiros.

O evento é organizado pela prefeitura, que pretende futuramente incluir a realização da Feira de Economia Solidária no Calendário Oficial do município.

A expectativa para essa primeira edição é grande e o evento reunirá artesãos macaenses que poderão expor seus produtos distribuídos em 20 estandes. O público poderá comprar peças em telhas decorativas, panos de prato, porta-bolo, cachecóis, bijuterias, entre outras.

Além do artesanato, o público que for prestigiar as apresentações culturais no local terá a oportunidade de degustar guloseimas caseiras que estarão distribuídas em cinco estandes para venda. Doces caseiros de compotas, salgados, entre outras delícias locais serão comercializados.
      
Na programação, estão previstas ainda atividades recreativas para a criançada, como ginástica, acrobacias de bicicleta, apresentações de skate, entre outras atrações.

Fonte: Secom/Macaé

Circuito Goitacá de Economia Solidária recebe Feirinha da Roça nesta quarta-feira


A Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP)  está realizando mais uma etapa do Circuito Goitacá de Economia Solidária de páscoa nesta semana na Área de Convivência I da UENF, próxima ao prédio P5, das 9 horas às 17 horas. Além dos produtos de artesanato, este Circuito contará  com os produtos da agricultura familiar da Feirinha da Roça nesta quarta-feira (27). 

A comunidade acadêmica e as pessoas que vierem ao Circuito Goitacá podem trazer óleo de cozinha usado para trocá-los pela moeda socioambiental Motirõ. O Motirõ é uma ecomoeda social que circula nos eventos apoiados pela ITEP/UENF enquanto o movimento de economia solidária não constituir seu banco comunitário.  O objetivo é criar consciência ambiental pós-consumo e fortalecer o circuito comercial de grupos ligados à economia solidária. 

A coordenação da ITEP/PROEX/UENF lembra que, por conta da semana comemorativa da Páscoa, muitas expositoras vão trabalhar com chocolate, tais como ovos de páscoa e outros produtos de páscoa. 

O Circuito Goitacá de Economia Solidária da ITEP/PROEX/UENF tem um espaço na Área de Convivência I da UENF para apresentações culturais, tais como música, teatro, poesia, vídeo, dentre outras artes. Os interessados em se apresentar no tablado do Circuito Goitacá de Economia Solidária devem ligar para o telefone (22) 2748-6067 e agendar a apresentação com a coordenação da ITEP/PROEX/UENF. Falar com Tárcio ou Elton no horário das 8 horas às 12 horas e das 14 horas às 18 horas, de segunda-feira a quarta-feira.

Wesley Machado

quinta-feira, 21 de março de 2013

Conselho de Promoção da Igualdade Racial em Campos faz panfletagem no Centro pelo Dia contra a Discriminação

O Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (CMPIR) em Campos, Rio, realiza nesta quinta-feira (21/03), Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial, a partir das 11 horas da manhã, uma panfletagem no Terminal Rodoviário Luís Carlos Prestes, na Praça do Santíssimo Salvador e na Rodoviária Roberto Silveira. O objetivo é conscientizar a população para este dia que foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) por conta do Massacre de Joanesburgo em 1960.

-  O Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial passou a vigorar no Estado do Rio por meio de decreto instituído pelo então governador Leonel Brizola, a pedido do deputado federal Abdias Nascimento, em 22 de março de 1983 - explica Salvadora Maria Ribeiro de Souza, presidente do CMPIR.

No Brasil, em 1989, um ano após o centenário da Abolição da Escravidão, foi criada a Lei número 7.716, que versa sobre os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor. A lei, que teve redação alterada pela Lei número 9.469, de 15 de maio de 1997, em seu artigo 1º afirma que: "Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou precedência nacional".

Wesley Machado

terça-feira, 19 de março de 2013

Homenagem ao Dia do Artesão no Circuito Goitacá de Economia Solidária

Em comemcoração ao Dia do Artesão, celebrado nesta terça-feira (19), juntamente com o Dia de São José, o padroeiro dos artesãos, o Circuito Goitacá de Economia Solidária, projeto de extensão da Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP) voltou a expor no Prédio P-5 da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). O Dia do Artesão na UENF foi marcado com um café da manhã entre artesãs e uma faixa parabenizando o artesão pelo seu dia. Na semana passada, o circuito esteve na Área de Convivência I da UENF, na antiga lanchonete entre o P5 e o CCT, para aonde voltará na próxima semana e onde serão disponibilizados durante três dias (25,26 e 27 de março), por conta da Páscoa, produtos voltados à data. Na oportunidade, poderão ser feitas encomendas de cestas de chocolate, ovos de páscoa, pão de mel, além de presentes para toda família.

Enilza Ribeiro Gomes, representante dos artesãos no Fórum de Economia Solidária de Campos, criado mediante parceria da ITEP/PROEX/UENF com a Secretaria Municipal de Família e Assistência Social (SMFAS) da Prefeitura de Campos e o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS) da Secretaria Nacional de Economia Solidária (SENAES), explicou que a Área de Convivência é um espaço experimental para estabelecer na UENF um ponto fixo da economia solidária - atualmente o Circuito Goitacá funciona todas às terças-feiras no P5, junto à Feirinha da Roça. A representante dos artesãos falou sobre o apoio da ITEP ao Fórum. “O apoio da Incubadora tem sido de grande valia. A ITEP tem procurado o melhor para nos oferecer. Tem nos dado um grande apoio”, afirma Enilza, que esteve acompanhada da coordenadora do Programa de Economia Solidária da SMFAS, Célia Schreider.

No Circuito Goitacá de Economia Solidária é feita a comercialização de diversos produtos de Economia Solidária, como bolsas, jogos americanos, porta-livros, porta note-book e mouse pad, todos feitos com banner reciclado, mediante projeto da Cooperativa de Costureiras e Artesãs de Rio Preto. Outros produtos da Economia Solidária expostos no Circuito Goitacá, que geram e aumentam a renda familiar, também são feitos com material alternativo, como escama de peixes, pele de peruá, folhas secas desidratadas, fibra de bananeira; entre outras matérias primas retiradas da agricultura e que não agridem a natureza.

Wesley Machado

segunda-feira, 18 de março de 2013

Moedas solidárias movimentam R$ 500 mil ao ano


Legislação é o principal desafio para continuar a expansão dos bancos solidários vista nos últimos anos

Paul Singer defende uma "legislação financeira" para os bancos solidários para reforçar atuação Foto: Divulgação

Responsável pela movimentação de R$ 500 mil em moedas sociais por ano no Brasil e pela aplicação de R$ 25 milhões em crédito produtivo anualmente - sendo mais da metade desses valores só no Ceará -, a rede de economia solidária formada pelos bancos comunitários de todo País, que atendem a cerca de um milhão de pessoas, tem na legislação o principal desafio para continuar a expansão vista nos últimos anos. É o que afirma o economista e titular da Secretaria Nacional de Economia Solidária (SNES), Paul Singer. "O trâmite é vagaroso, nós temos consciência disso, sobretudo com coisas que mexem com grandes interesses - e essa vai mexer com certeza", declarou ontem à tarde, quando desembarcou em Fortaleza para o 3º Encontro Nacional da Rede Brasileira de Bancos Solidários.

Ele defende "uma legislação financeira para os bancos", o que, na concepção de Singer, "vai acabar gerando a movimentação de recursos ainda mais volumosos". O objetivo do economista é que "os projetos espontâneos da sociedade civil", como o Banco Palmas (do Conjunto Palmeiras, em Fortaleza) e toda iniciativa de economia solidária, sejam incorporados na constituição ou tenha uma legislação financeira para tratar só deles.

No entanto, Singer contou que a única medida mais concreta para conseguir isto segue barrada no Congresso Nacional. Trata-se de um Projeto de Lei da deputada Luiza Erundina (PT-SP) formulado em 2007 e que até agora não foi aprovado.

Êxito na economia

O secretário Nacional de Economia Solidária ressaltou ainda, apesar da falta de um marco regulatório para as iniciativas coletivas, o êxito na economia atingido por alguns projetos "como o Banco Palmas, no Ceará, e o Banco Bem, no Espírito Santo" - ambos criados antes mesmo da fundação da secretaria.

No que diz respeito, principalmente, ao Nordeste, Singer aponta o consumo interno como um propulsor dos negócios a base de moedas solidárias e, consequentemente, da economia solidária. "Você passa por um destes locais e parece que passou o Papai-Noel. Não ganham presente, mas ganham algo que os une, ganham a chance de uma condição melhor de vida", afirma.

Atualmente, conta, há 103 bancos vinculados a SNES, contagem inconstante por conta das diversas iniciativas cada vez mais frequentes no Brasil. Só o Ceará possui 38 instituições bancárias de economia solidária, os quais chegaram a atender 80 mil pessoas em 2012. Ao longo do ano passado, foram realizadas no País cerca de um milhão de operações com correspondentes bancários. Desse total, somente o banco Palmas foi responsável por 300 mil operações.

Fomento

Questionado sobre a forma de fomento destas instituições, o titular da SNES volta a apontar o número de iniciativas espontâneas como exemplo de autonomia da população na economia solidária. De acordo com ele, é "um processo que se auto-move, que cria energia própria". Singer ainda conta que muitas vezes não é o governo o responsável pela articulação da população, a qual envolve-se em torno de outros atores sociais cujo ideal tem na coletividade um cerne estruturante. "O processo de desenvolvimento não é uma coisa simples. Envolve uma série de aspectos - cultural, político e econômico -, principalmente quando os projetos sãos auto-geridos por comunidades coletivas", fala.

A secretaria conduzida pelo economista tem participação direta no fomento dos banco solidários, mas também faz parte do programa Brasil Sem Miséria, onde atua com o projeto "Inclusão produtiva urbana".

Reportagem de Armando de Oliveira Lima para o Diário do Nordeste.

sexta-feira, 15 de março de 2013

Comunidade acadêmica da UENF adere a projeto de extensão da ITEP

A comunidade acadêmica da UENF aderiu plenamente ao projeto de extensão da ITEP, Circuito Goitacá de Economia Solidária, que voltou a expor terça-feira (12) e prossegue, neste 1º momento, até esta sexta (15) na Área de Convivência I (antiga lanchonete entre o CCT e o P5). Nesta sexta-feira (15), último dia do evento A partir das 15 horas haverá a apresentação da jovem cantora Gabriela de Paula que, acompanhada do violonista Foluke, vai cantar sucessos da Música Popular Brasileira (MPB).

Ontem (quinta-feira, 14), Gabriela de Paula já deu um show de simpatia, conquistando o público com sua voz suave. Também se apresentou ontem o trio Davi, Ian e Dominique. Eles também cantaram sucessos da MPB. O ambiente no Circuito Goitacá de Economia Solidária é o melhor possível. Propício para a troca de ideias e experiências.

Quem quiser pode trocar um litro de óleo vegetal usado pela moeda social motirõ, que equivale a um real cada nota. O motirõ pode ser usado na compra de produtos e alimentos de artesanato expostos no Circuito. De quarta-feira (13)  a quinta-feira (14), foram trocados 287 litros de óleo vegetal usado, o que mostra que a comunidade acadêmica aderiu ao Circuito Goitacá de Economia Solidária.

A Srª Kíssila do Espírito Santo, de 26 anos, disse que achou ótima a ideia de se trocar óleo vegetal usado pela moeda social motirõ. “Interessante! É uma forma da gente reciclar e preservar a natureza. Também é uma troca justa e solidária”, falou Kíssila,mostrando ter entendido o espírito do projeto.

Wesley Machado

quarta-feira, 13 de março de 2013

ITEP promove trocas solidárias até sexta na UENF

O  Circuito Goitacá de Economia Solidária, projeto de extensão da Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP), convida toda a comunidade acadêmica a se integrar às atividades que começaram nesta terça-feira, 12/03,  na Área de Convivência I, a antiga lanchonete entre o CCT e o P5, e prosseguem até sexta, 15/03, pela manhã e à tarde.

O Circuito Goitacá de Economia Solidária é um projeto de extensão que incentiva a organização de grupos autogestionários a promover comércio justo e solidário, trocas solidárias, circulação da “ecomoeda social Motirõ” e atividades culturais livres da comunidade acadêmica. O “Motirõ” vai circular nesse espaço de comercialização solidário e poderá ser trocado por óleo de cozinha usado (1 litro de óleo corresponde a 1 motirõ = R$ 1).

Durante os quatro dias de Circuito, a comunidade acadêmica poderá comprar e fazer encomendas de  produtos para a Páscoa, aproveitar o espaço de atividades culturais livres, como apresentações de música, dança, recital de poesia, saraus, exposição de arte, entre outras. Os interessados devem se comunicar com a coordenação da ITEP pelo telefone 2748-6067.

terça-feira, 12 de março de 2013

ITEP reabre Circuito Goitacá de Economia Solidária na Área de Convivência I da UENF




A Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP) da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PROEX) da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) reabriu nesta terça-feira o Circuito Goitacá de Economia Solidária 2013 na Área de Convivência I (antiga lanchonete do P5).

O Circuito Goitacá de Economia Solidária ficará até sexta-feira, dia 15 de março, no local, onde serão recebidas encomendas para a Páscoa. A entrega destas encomendas será nos dias 23, 24 e 25 de março de 2013. A Área de Convivência I será um espaço para comercialização de produtos e alimentos artesanais e também para apresentações culturais. No local, circulará a moeda social motirõ, que poderá ser trocada por óleo de cozinha usado.

A funcionária da UENF, Lucinéia Manhães, disse que achou bacana o espaço. “É um bom espaço para se fazer exposição. Uma área de convivência, um local de referência perfeito que vai  dar muita visibilidade ao projeto”, acredita Lucinéia.

O aluno do 2º Período de Geografia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Juliano Marinho, que estava de passagem pela UENF, aproveitou para visitar o espaço que o chamou atenção. “Tô gostando. Interessante. É uma extensão da universidade que está gerando renda, agregando valor ao produto e dando espaço de divulgação do trabalho destas pessoas”, afirmou Juliano.

As pessoas interessadas em fazer apresentações culturais na Área de Convivência I deverão ligar para a coordenação da ITEP no telefone 27486067.

Fotos e Texto: Wesley Machado

segunda-feira, 11 de março de 2013

Carta do Circuito Goitacá de Economia Solidária à Comunidade Acadêmica


Convidamos toda a comunidade acadêmica a se integrar nas atividades do Circuito Goitacá de Economia Solidária que acontecerá no “Centro de Convivência I” (entre o CCT e P5) durante os dias 12 a 15 de março de 2013, manhã e tarde.

O Circuito Goitacá de Economia Solidária é um projeto de extensão que incentiva a organização de grupos autogestionários a promover comércio justo e solidário, trocas solidárias, circulação da “ecomoeda social Motirõ” e atividades culturais livres da comunidade acadêmica. O “Motirõ” vai circular nesse espaço de comercialização solidário e terá como lastro óleo de cozinha usado (1 litro de óleo corresponde a 1motirõ = R$1).

Durante os quatro dias de Circuito a comunidade acadêmica poderá comprar e fazer encomendas de  produtos para a páscoa, aproveitar o espaço de atividades culturais livres (basta comunicar à coordenação da ITEP) como apresentações de música, dança, recital de poesia, saraus, exposição de arte, outras.

Circuito Goitacá de Economia Solidária

quinta-feira, 7 de março de 2013

Militantes do MST partem da UENF em marcha rumo à Justiça Federal

Manifestantes querem o assentamento imediato das terras improdutivas da Usina Cambahyba


Cerca de 50 integrantes do Movimento Sem Terra (MST) realizaram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (7), reivindicando a emissão de posse da Usina Cambahyba, em Campos.  O grupo saiu da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) em direção à praça São Salvador, no Centro. O grupo parou em frente ao prédio da justiça federal com o objetivo de conseguir um diálogo com o juiz sobre a desapropriação da usina. 

Eles formaram uma comissão composta pelo advogado, dirigentes e duas mulheres do MST. Hoje, cerca de 120 famílias vivem na usina Cambahyba. Os manifestantes informaram que a ação faz parte de uma jornada nacional de lutas que tem o nome de “Mulheres sem terra contra o capital pela soberania dos povos”.

As informações são do Jornal "Folha da Manhã".

segunda-feira, 4 de março de 2013

Inscrições abertas para monitor do Programa Telecentros.BR em Campos e Cardoso Moreira

O programa de inclusão digital “Telecentros.BR”, do governo federal lançou novo edital com oportunidades para Monitor de Telecentro Comunitário. O processo seletivo será feito nos telecentros comunitários coordenados pela Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP), vinculada à Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (PROEX) da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF), que é proponente junto ao Ministério das Comunicações. 

A coordenadora da ITEP, Nilza Franco Portela informa que os Telecentros Comunitários que queiram participar deste processo, deverão, por meio dos seus dirigentes, convocar as duas reuniões comunitárias que fazem parte do processo seletivo. "O responsável do Telecentro que não oficializar à ITEP sobre o seu processo seletivo até esta terça-feira (5) não participará deste processo e ficará para o processo seletivo do segundo semestre de 2013", lembra a coordenadora da ITEP.

- Como o processo seletivo vai acontecer junto às comunidades que possuem telecentros é fundamental que os candidatos participem da primeira reunião. Para que o candidado possa se habilitar para a avaliação e votação comunitária deve estar presente nesta reunião - ela apresentará toda a proposta e a importância do telecentro para toda comunidade. O kit inscrição só será disponibilizado neste momento. Cada candidato vai assinar o recebimento do material e a ITEP vai habilitá-lo para a segunda reunião comunitária - explica Nilza.
   
O Candidato deverá ter concluído o ensino médio e deverá ter faixa etária entre 18 a 29 anos e ser da comunidade do telecentro habilitado para o processo seletivo. O envolvimento do monitor com a proposta será 30 horas semanais de atividades na bolsa/monitoria, sendo 10h em formação a distância pelo Programa Nacional de Formação. 

A documentação necessária para ser feita a inscrição é: Cópia de RG, CPF, Comprovante de Residência, Diploma de conclusão de ensino médio (original e cópia), Currículo simples, Ficha de Inscrição e Declarações que serão fornecidas no ato da inscrição. O Processo seletivo será no período de 09/03/2013 a 30/03/2013. A bolsa terá duração de 12 meses e o valor é de R$ 483,00.  

O edital completo está disponível aqui no blog. Outras informações pelo telefone: (22) 2748-6067.

Wesley Machado

sexta-feira, 1 de março de 2013

EDITAL PARA SELEÇÃO PÚBLICA DE MONITORES BOLSISTAS DO PROGRAMA TELECENTROS.BR


Aprovado em Reunião Geral de Dirigentes dos Telecentros Comunitários (Beneficiários) no Dia 27 de Fevereiro de 2013.

A Incubadora Tecnológica de Empreendimentos Populares (ITEP/PROEX) torna pública a seleção de bolsista(s) para o Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital nas Comunidades – Telecentros.BR, para a vaga de Monitor de Telecentro, distribuídos em  localidades no município  de Campos dos Goytacazes e Cardoso Moreira, Estado do Rio de Janeiro. O Telecentro Comunitário que participar deste processo deverá dar ampla divulgação no seu território e convocar as duas reuniões comunitárias que fazem parte do processo seletivo.
O Responsável do Telecentro que não oficializar a ITEP sobre o seu processo seletivo até o dia 05 de março não participará deste processo e ficará para o processo seletivo do segundo semestre de 2013.
Do Perfil dos Candidatos a Bolsa
1-      O candidato a bolsa para monitor no Telecentro Comunitário do Programa Telecentros.Br deverá ser da localidade/território do telecentro que disponibilizará a vaga, com o objetivo de garantir o reconhecimento comunitário do candidato e ampliar a sinergia entre os serviços do telecentro e as necessidades locais através do uso dos equipamentos e internet disponibilizados pelo Governo Federal. Para tanto deverá apresentar comprovante de residência;

2-      O Candidato deverá ter concluído o ensino médio;

3-      O candidato terá que certificar que conhece informática básica e navegação de internet. Além deste pré-requisito o candidato que apresentar comprovação de curso de informática habilitado ao manuseio de software livre obterá maior pontuação na análise de currículo.

4-      O candidato deverá ter faixa etária entre 18 a 29 anos.

5-      O Candidato não poderá possuir bolsa de pesquisa e/ou extensão do CNPQ ou outra instituição financiadora ou ter sido monitor bolsista de telecentro dos 22 telecentros sob coordenação da ITEP/UENF;

6-      Não poderá ter vínculo direto ou quaisquer que seja em relação à diretoria da entidade beneficente anteriores a consecução da bolsa;

7-      O candidato não deverá possuir parentesco com ninguém que faça parte do Conselho Gestor Local.

8-      O candidato deverá ter as tardes disponíveis para as atividades no telecentro comunitário;

9-      O envolvimento do monitor com a proposta será 30 horas semanais de atividades na bolsa/monitoria, sendo somente 20h com o público e com planejamento de atividades fins. As demais horas (10h semanais) serão para participar do processo de formação de monitor do Programa Nacional de Formação oferecido pelo Ministério das Comunicações. (Participação no curso de formação à distância). A cada 15 dias deverão passar 4 horas na ITEP para receber orientação e junto com a equipe de inclusão digital articular soluções dos problemas locais que forem levantados.

10-  O candidato deverá estar apto a responder às exigências concernentes às diretrizes do Programa Telecentros.BR e contará com o apoio da equipe de inclusão digital da ITP. O não cumprimento dessas exigências implicará em seu desligamento da bolsa.

11-  São características importantes para o perfil do futuro bolsista monitor: liderança, capacidade de comunicação e diálogo, afinidade com as tecnologias, capacidade de mobilização e envolvimento participativo na comunidade. (Será avaliado em entrevista que antecede a segunda reunião comunitária).


Da Documentação Comprobatória para a Inscrição no Processo Seletivo Comunitário

1-      Ficha de Inscrição (fornecida pela ITEP e orientação das etapas de avaliação). Esta documentação será entregue na primeira reunião comunitária que habilitará o candidato para o processo seletivo.

2-      Declaração que não tem parentesco com a diretoria do telecentro e Conselho Gestor Local (Fornecida pela ITEP);

3-      Declaração que conhece os critérios de seleção deste processo seletivo (Fornecido pela ITEP);

4-      Cópia de RG, CPF e Comprovante de Residência (esta deverá ser entregue na segunda reunião comunitária onde se avaliará se o candidato cumpre o perfil exigido);

5-      Diploma de conclusão de ensino médio – original e cópia (este deverá ser entregue na segunda reunião comunitária onde se avaliará se o candidato cumpre o perfil exigido e análise de currículo).

6-      Currículo simples que contenha as informações pessoais, experiência profissional, cursos extracurriculares. Tudo que for mencionado deverá ser comprovado sob pena de não ser avaliado. (Este deverá ser entregue na segunda reunião comunitária onde se avaliará se o candidato cumpre o perfil exigido e análise de  currículo).

7-      Os candidatos deverão participar das reuniões comunitárias para ter direito a participar do processo seletivo. NESTE PROCESSO SELETIVO COMUNITÁRIO NÃO CABE PROCURAÇÃO OU REPRESENTAÇÃO DE CANDIDATOS EM QUALQUER ETAPA.
8-      Comprovante de residência no território do Telecentro (esta deverá ser entregue na segunda reunião comunitária onde se avaliará se o candidato cumpre o perfil exigido e análise de currículo);

9-      O critério de desempate se fará pelo critério idade (o mais velho ocupará a bolsa)


Do Processo Seletivo
1-      O Processo seletivo será no período de 09/03/2013 a 30/03/2013 e se realizará de forma participativa nos territórios onde tiver um telecentro ligado ao Programa Telecentros.br e o beneficiário (instituição comunitária), ter se habilitado para o processo seletivo no primeiro semestre de 2013, convocadas pelo seu presidente somente para este fim, e, caracterizado pela convocação das duas reuniões comunitárias;

2-      O Processo de divulgação está permitido a partir do dia 01 de março de 2013. O edital está disponível no site WWW.uenf.br- Blog da ITEP (http://itepuenf.blogspot.com.br/)

Das Reuniões Comunitárias

1.  Primeira reunião será convocada pelos dirigentes das instituições beneficiárias, conforme designada pelo processo Seleção Pública MP/MCT/MC nº01/2010 e pelo seu Conselho Gestor Local e deverá dar ampla divulgação do processo seletivo em estabelecimentos educacionais, religiosos, comerciais e instituições públicas da localidade.
a. Toda a comunidade local poderá participar da reunião e tomar conhecimento da proposta de inclusão digital comunitária realizada através das unidades dos Telecentros;
b. O candidato que desejar ser monitor deverá participar desta reunião como pré-requisito para ser avaliado e ser votado na segunda reunião comunitária. A não participação impede qualquer pessoa a pleitear uma vaga neste processo seletivo, primeiro semestre de 2013.
c. A reunião será conduzida pelo dirigente da instituição beneficiária do Telecentro/Conselho Gestor Local e acompanhada pela Comissão de Seleção da ITEP;
d. A Comissão da ITEP no final desta reunião entregará todo o material de inscrição e orientação para os candidatos (iniciando o processo seletivo).

2. A Segunda reunião será convocada pelos dirigentes das instituições beneficiárias, conforme designada pelo processo de Seleção Pública MP/MCT/MC nº01/2010 e pelo seu Conselho Gestor Local e deverá dar ampla divulgação do processo seletivo em estabelecimentos educacionais, religiosos, comerciais e instituições públicas da localidade.
a. A primeira etapa da reunião será de avaliação da documentação exigida e do currículo de cada candidato pela Comissão de Seleção da ITEP e acompanhada pelo Conselho Gestor Local. Esta deve ocorrer com 4 horas de antecedência da reunião comunitária que definirá a ordem de classificação;
b. O candidato mais votado será o primeiro a ser inserido na bolsa, podendo ficar até 12 meses. Os demais ficarão na suplência e poderão ser aproveitados caso o selecionado não possa completar o período de 12 meses ou não se ajustar as diretrizes deste edital de seleção de monitor de telecentro.
c. O candidato aprovado deverá se inserir na Plataforma Carlos Chagas e na sequência será incluído na primeira turma de formação do primeiro semestre de 2013, conforme deliberações do MINICOM (Processo este acompanhado pela equipe da ITEP) imediatamente após a seleção.

Do Processo de Divulgação
1 – O Dirigente da Instituição Beneficiaria e o Conselho Gestor Local deverão divulgar o processo de seleção de monitor bolsista no seu território podendo usar cartazes, redes sociais, e-mails, jornais e rádios comunitários ou outros meios de comunicação ao alcance.
2 – O processo seletivo deverá ser divulgado em escolas, igrejas, ônibus, comércio local e espaços autorizados de circulação da comunidade de cada telecentro que integrar o processo seletivo.
3 – As informações divulgadas não poderão extrapolar as contidas nesse edital.

Do Período da Seleção

1 – Período de Seleção de 09 a 30 de março de 2013. Compreende o espaço entre as duas reuniões comunitárias por telecentro.

Da Bolsa
1-      A modalidade de bolsa referente ao Programa Telecentros.BR a ser implementada será disponibilizada pela Parceria MINICOM/CNPQ, cujo o Valor é de R$ 483,00 (quatrocentos e oitenta e três reais).
2-      A inclusão na Plataforma Carlos Chagas depende da liberação dos recursos financeiros do Governo Federal/MEC/FINEP para a implementação da bolsa.

3-      A bolsa terá duração de 12 meses, contados a partir da data de contratação e estará vinculada a participação em atividades de formação presenciais e à distância, definidas pelo Programa Telecentros.br.

4-      O não cumprimento da carga horária e do que for determinado por esse edital resultará no desligamento do monitor da bolsa pela Coordenação de Bolsas da ITEP/UENF.

5-      O acompanhamento do Bolsista compete ao Conselho Gestor Local e à ITEP deverá ser sempre informada a respeito das atividades e de quaisquer irregularidades identificadas.

6-      As irregularidades identificadas nesse processo terão de ser informadas à ITEP imediatamente ou no prazo máximo de 07 dias, contados do dia da identificação do fato.


Das Atribuições do Bolsista
1 – O Monitor de Telecentro será responsável pelo atendimento ao público no período de 20 horas semanais, auxiliando e propondo processos que permitam aos frequentadores fazer uso das tecnologias da informação e comunicação disponíveis de maneira articulada ao desenvolvimento da comunidade;

2 – O Monitor de Telecentro deverá se dedicar em tempo adequado para atividades de formação propostas pelo Programa, previsto em duas (2) horas por dia ou dez (10) horas semanais, ao longo dos doze (12 ) meses e realizar os registros demandados no sistema de monitoramento, bem como prestar as informações sobre suas atividades aos responsáveis pelas redes e à Coordenação Local do Telecentro e à Coordenação Executiva sempre que solicitados;

3 – Participar de todos os módulos e atividades do curso da rede Nacional de Formação para Inclusão Digital;

4 – Promover o uso efetivo das tecnologias da Informação e Comunicação no Desenvolvimento Local em suas múltiplas dimensões;

5 – Promover atividades de formação junto aos usuários dos telecentros comunitários;

6 – Incentivar a criação de projetos de desenvolvimento comunitário em diversas dimensões, mediante regras preferencialmente definidas pelo Conselho Gestor Local do telecentro, conforme as especificidades locais;

7 – Zelar pelo funcionamento do Telecentro de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Apoio à Inclusão Digital – Telecentros . BR;

9 – Apoiar os usuários na navegação livre e assistida;

10 – Zelar pelas boas condições dos equipamentos disponíveis no telecentro da unidade;

11 – Relatar para o gestor ou responsável pelo telecentro sobre os eventuais problemas técnicos (software, hardware) que aconteçam;

12 – Elaborar o relatório individual mensal de atividades, de acordo com as orientações da Rede Nacional de Formação para Inclusão Digital;

13 – Preencher Relatório Mensal de Monitoramento e Avaliação disponibilizado pela Incubadora de Empreendimentos Populares (ITEP) – responsável pela Coordenação executiva local do Programa Telecentros.BR;

14 – Registrar sistematicamente informações no Sistema de Monitoramento do Programa Telecentros.BR;

15- Cadastrar usuários e manter registro atualizado dos atendimentos realizados.

Das Disposições Finais

1 – O candidato deve ter ciência de que a bolsa oferecida não se caracteriza como vínculo empregatício, não fazendo jus a benefícios: férias e outras obrigações de outros regimes de contratação.

2 – O bolsista selecionado, obrigatoriamente, deverá cadastrar seu currículo na plataforma Lattes, disponibilizada no site do CNPQ (www.cnpq.br) e seguir as orientações nele contidas com o auxílio da equipe da ITEP.

3-                 O não cumprimento por parte do candidato das exigências contidas nesse edital implicará na desclassificação do mesmo. A falsidade documental implicará na eliminação do candidato dessa seleção pública.

As regras desse edital entram em vigor a partir de sua publicação.


Campos dos Goytacazes, 01 de março de 2013.

Nilza Franco Portela
Coordenadora de Bolsas/Telecentro.BR/Proposta 1159 (ITEP/PROEX/UENF)


BNDES e CONAB lançam edital para apoiar iniciativas produtivas da agricultura familiar

A Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES tornaram público Edital para selecionar e apoiar projetos que contribuam para o fortalecimento social e econômico de organizações produtivas rurais de base familiar que fornecem alimentos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) ou para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), ou que operem a Política de Garantia de Preço Mínimo dos Produtos da Sociobiodiversidade (PGPM-Bio).

Valor máximo para cada organização proponente: R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais).

Podem ser proponentes cooperativas ou associações de produtores rurais de base familiar, formalmente constituídas, caracterizados de acordo com a Lei n° 11.326, de 24/07/2006, que estabelece as diretrizes para a formulação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais.

Inscrições: de 01/04/2013 a 30/04/2013

Acesse o edital em: http://www.fbes.org.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=1712&Itemid=99999999

As informações são do site do Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES) com informações do BNDES.