terça-feira, 25 de julho de 2017

Audiência Pública da Economia Solidária dia 7 de agosto na Câmara de Vereadores de Campos

O Fórum de Economia Solidária de Campos convida os trabalhadores da Economia Solidária de Campos e região para a Audiência Pública da Economia Solidária, convocada pela Frente Parlamentar da Economia Solidária, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). 

A Audiência Pública da Economia Solidária será realizada no dia 7 de agosto (segunda-feira), às 14 horas, na Câmara de Vereadores de Campos.

Estão convidados agricultores familiares e agroecológicos, assentados, acampados, pescadores artesanais, cooperados das cooperativas de catadores de materiais reciclados, quilombolas, artesãos, doceiras, salgadeiras, confeiteiras, padeiros e outros trabalhadores sem patrão.

O foco da Audiência Pública é debater a política estabelecida no Programa Municipal de Economia Solidária, instituído pela Lei 8.717/2016; além do Plano Estadual de Economia Solidária e o Banco Popular Campos Palma, com a moeda social Palma.

Qualquer segmento da Economia Solidária poderá entregar documentos reivindicatórios e se inscrever para falar.

As inscrições para entrega de documentos reivindicatórios deverão ser feitas diretamente pelos telefones:

(22) 981176431 e (22) 998797085

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Projeto de filme de Ugo Giorgetti sobre Paul Singer atinge meta em site de financiamento coletivo


O projeto de crowdfunding (financiamento coletivo) do filme “PaulSinger – Uma História do Brasil”, que será dirigido pelo renomado cineasta Ugo Giorgetti, atingiu a meta estabelecida para ser realizado. O projeto, que teve o apoio dos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Dilma Roussef, chegou à quantia de R$ 160.724, com a contribuição de 1017 pessoas,

No site Catarse, o projeto explica o personagem e o filme: “Paul Singer é provavelmente um dos intelectuais vivos mais conhecidos no Brasil. Seu legado encontra base em obras públicas sobre desenvolvimento, demografia e economia, mas principalmente na formação de gerações de economistas e cientistas sociais espalhados pelo pais.

Sua última frente de militância, a economia solidária, ainda apresenta uma novidade a mais: tem sido a agenda de grande parte dos novos movimentos políticos no mundo todo, principalmente quando se fala em juventude – motivo pelo qual ele tem sido convocado a participar de debates pelo planeta, incluindo países como o Butão até a ONU.

No momento atual em que o sistema político-partidário dá novos sinais de esgotamento e a juventude começa a manifestar incomodo com a limitação do horizonte utópico, esse intelectual que passou por tantas contradições e desafios segue como exemplo. E por um único motivo: por manter sua capacidade de sonhar.

O conhecido diretor Ugo Giorgetti assumiu o projeto de registrar essa forma de pensar autônoma e livre. Sempre democrática, tomando o diálogo como ponto de síntese entre múltiplas ideias. Nos detalhes, uma postura humana que se insere na história e, mesmo sem querer, se apresenta como exemplo. O resultado é uma trajetória de um personagem que nos leva a refletir sobre o presente, o passado e o futuro do Brasil e do mundo. O filme é também, inevitavelmente, um retrato intelectual da própria cidade de S.Paulo em anos particularmente conturbados.”

terça-feira, 4 de julho de 2017

Reunião na Emater busca mobilização para audiência pública da Ecosol


Nesta segunda-feira (3), foi realizada na sede da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural no Estado do Rio de Janeiro (Emater-RJ), uma reunião para mobilização para a Audiência Pública sobre Economia Solidária, organizada pelo Fórum Municipal de Economia Solidária de Campos, em parceria com a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) e que será realizada no dia 7 de agosto, às 14 horas, na Câmara de Vereadores de Campos. A reunião contou com a presença de representantes do Fórum Municipal de Economia Solidária de Campos, Emater, Comissão Pastoral da Terra ES/RJ, Assentamento Oziel Alves (Campos), Assentamento Zumbi V (São Francisco do Itabapoana) e Assentamento Paz na Terra (Cardoso Moreira).

 - A Economia Solidária é um modelo econômico diferenciado, um modo diferenciado de produzir e vender, uma solidariedade econômica, com uma moeda social e uma obrigação coletiva. Queremos superar o modelo capitalista, formar uma nova sociedade, construir outras bases, com auto-gestão, de trabalhador para trabalhador, uma cultura de plena solidariedade. Queremos que as pessoas possam optar. A Economia Solidária abraça 60% de todos os trabalhadores da cidade. Na Economia Solidária todos vão ter lugar. Todos nós devíamos ser associados, cooperados, no processo de divisão do trabalho. Temos de fazer alguma coisa juntos. É possível fazer pessoas com mais responsabilidade. Não tem emprego, mas tem trabalho. Todo mundo trabalhando a favor de uma coisa única. A Economia Solidária só vai acontecer quando todo mundo se sentir dentro dela – afirmou Nilza, assessora do Fórum Municipal de Economia Solidária de Campos.

Foto e texto: Wesley Machado